quinta-feira, 7 de outubro de 2010

♫ Forentina, Forentina ♫

Se teve algo que essa eleição me gerou, foi uma repulsa enorme de dizer tudo que já havia sido dito. Exemplo: Dilma é o fantoche de Lula, O PT não é mais o mesmo, Serra vai privatizar até a sua mãe ou Marina Silva tem algum parentesco com o E.T. de Spielberg (isso não foi dito, mas deveria). Alheio a tanto clichê, estavam os candidatos “figurões”; Romário, Mulher Melão, Tiririca e Cia fizeram um carnaval no horário político, chegando a chamar atenção da BBC sobre a palhaçada (como todo respeito ao palhaço) que a eleição se tornou.


A eleição chega ao fim do primeiro tempo e temos como novos deputado: Romário, Bebeto, Danrlei, Miryan Rios e o grande alvo de todo este post; o palhaço Tiririca.


Dizer que o Tiririca “esculhambou” toda a inteligência do povo brasileiro (se é que ainda sobra alguma), só seria mais um clichê. O que eu lhe mostrarei aqui, é que o PR (partido pelo qual Tiririca se candidatou) “esculhambou” ainda mais a nossa inteligência e a inteligência do nosso amigo Tiririca (essa eu tenho certeza que se foi com a Forentina). Entenda os fatos:


Todo político para se candidatar precisa escrever um termo de candidatura. Este termo confirma que o mesmo não é analfabeto. Tiririca escreveu este termo, candidatou-se deputado federal e foi o deputado mais votado, conseguindo a media de um milhão e trezentos mil votos. P... Que P..., é voto pra Cara....


Com esse montante de votos Tiririca carrega mais 3 candidatos do PR e coligação com ele. Isso acontece por conta do sistema de eleições proporcional utilizado no Brasil para a definição dos cargos de deputado federal, deputado estadual e vereador. Nesta eleição, o quociente eleitoral para deputado federal em São Paulo foi de 304.533 votos. Como Tiririca conseguiu 1.353.820 votos, sua “sobra” de 1.049.287 milhão de votos foi suficiente para eleger mais três deputados federais de sua coligação (PRB, PT, PR, PC do B e PT do B), entre os mais votados.


Agora pasmem; Um processo foi aberto para que realmente apurem a alfabetização do deputado Tiririca. Para se esquivar do problema, uma segunda carta foi escrita, mas claramente se vê que esta foi manipulada ortograficamente. Esse processo pode levar a duas conseqüências:


1º Provando que as duas cartas são falsas, a candidatura é cancelada, fazendo com que os votos conseguidos pelo candidato sejam redistribuídos entre os partidos que já tem cadeiras no planalto.


2º Provando que somente a segunda carta é falsa, Tiririca fica impedido de tomar posse, pois não tem um nível de alfabetização possível para ser político, porém, tem um nível possível para se candidatar. Também achou estranho? Pois é, mas para um país onde o consumo de drogas é legal e a comercialização não...


A segunda opção, a mais provável de todas, pois o candidato pode ter passado uma semana para escrever cinco linhas, mas são cinco linhas com as letras dele, fará com que os candidatos do PR arrastados pelo Tiririca possam tomar o poder, menos o mesmo. E eu pergunto: Será que isso tudo não foi pensado pelo PR? Os mais inocentes dirão que eu estou agindo tal qual um conspirólogo procurando uma mensagem do diabo no disco do Led Zeppelin. Então vamos às provas:


O PR investiu cerca de 516 mil na candidatura de Tiririca, sendo 350 mil do partido, e a diferença de um fundo investidor. O cantor e humorista Juca Chaves (um símbolo de cultura muito mais apropriado a político do que o palhaço) recebeu somente 1,2 mil, sendo somente do fundo investidor. O único candidato que recebeu mais verba que o Tiririca foi Valdemar Costa Neto, um dos criadores do partido. Podemos entender que acima de Tiririca só os cabeças do Partido Republicano.


Perguntas chave: O PR acredita que o Palhaço será um grande político? O PR tem pra si que Tiririca só perde na hierarquia para um dos fundadores do partido? O PR não sabia do analfabetismo do Tiririca? Um partido pode, simplesmente, não aceitar a candidatura de uma pessoa, alegando vários motivos plausíveis (acredito que qualquer um deles se aplica a Tiririca).


Eu tenho um bom nome para isso: CASO PENSADO. Tiririca funcionou como um burro de carga que carrega os objetos e o deixa no seu destino, voltando para casa com as mãos (patas ^^) abanando e com o sonho de ter uma cenoura a sua frente. Bom trabalho Tiririca!


Essa balela chamada voto de protesto acaba elegendo o alvo desses protestos, pois é carregado de uma falta de informação suficiente para deixar o eleitor no lugar onde ele sempre esteve; na inércia. Uma reforma política se faz urgente quando vemos casos como este, pena ela ter que sair das mãos dessa mesma patota. Se há algo a fazer, imagino que eu esteja fazendo, pois esta é a minha única arma (o dia da democracia imbecil não é uma arma, confie em mim). E você aí de casa, está fazendo o que? Qual é? Qual foi? Por que que tu ta nessa?

2 comentários:

Babozeiras disse...

Caso pensado! choquei!! rsrsr

Ca¢hos" disse...

E depois da "palhaçada" que se resumiu a eleição, fiquei curiosa pra saber do Tiririca o que faz um deputado federal...

E agora Tiririca conta ai pra gente vai, conta...!!??

(Obs:O blog tá show de bola, parabéns..^^)