terça-feira, 17 de agosto de 2010

Receita perfeita para criar um reality show

A fim de enriquecer o suficiente para comprar quadros raros, instrumentos utilizados por músicos consagrados e passes de jogadores para o Bahia, Anderson Shon está a procura das formas menos humilhantes de arrumar dinheiro fácil. Assim foi criada uma hierarquia de “grana mole” para chegar a melhor solução. Eis que:


Virar um ator pornô – Eu até poderia usar uma máscara para não ser reconhecido, mas o Shonzão iria ficar muito exposto, muuuuuuuuito mesmo (se é que vocês me entendem ^^).

Ser jogador de futebol nos E.U.A. – Taí algo fácil e lucrativo, mas daqui que eu tirasse um passaporte e convencesse os estadunidenses que eu não sou um terrorista...

Abrir uma igreja universal – Opa! É riqueza na certa, mas não sei se existe grana no mundo que pague a minha estadia no inferno (se tiver me fala para eu ver se vale a pena).

Começar um reality show – Um reality show? Ótima idéia. Vejamos como:


É preciso ter um bom tema para servir de background. Como alojar os participantes em uma vida de milionários, colocá-los para desempenhar serviços rurais ou provar sua força de sobrevivência. Hum... já tenho uma boa idéia:

Vou abrir um reality show onde os participantes irão viver à tensão de um exame de próstata. Ganha quem conseguir sobreviver a uma série de exames de próstata diário.


Agora que nós já temos o formato, precisamos dar um nome ao local onde esses participante estarão quando forem submetidos a votação popular. Algo como: paredão, berlinda, na roça, na lama... Sendo um reality show sobre exame de próstata, então chamemos de “com o dedo no c...” Quem estiver para sair vai estar “com o dedo no c...”.


Muito bom, muito bom, mas algumas coisas não podem ficar de fora. São elas:

É preciso ter uma mulher muito gostosa que sairá na playboy quando não conseguir ganhar o reality show (a urologista em questão). Um homem muito tatuado também é importante, assim como um negro para não criar problemas judiciais e alguém para criar um falso ar de diversidade.


Um texto filosófico antes de cada eliminação da um gosto especial ao programa, faz ele parecer culto. Este texto deve ter relação com a temática do programa, deve ser algo tipo: “Toda a complexidade de um ser não quisto visitando algo que não é de sua vivencia ou que os faz errado na história, cria uma série de impropérios que elucidam a relação humana e todas as suas falhas deixadas ao se ausentar da situação. O eliminado é...” Aprendeu?! Em outras palavras eu disse: “Dedo no c... dos outros é refresco”.


Íamos esquecemos de apelidar a imunidade; esta pode ser chamada de “com vaselina”.


Pronto, Anderson Shon está a um passo da riqueza, porém o mesmo vai abrir mão de todos os seus valores, pois estará incentivando a cultura que nada ensina, que nada acrescenta e ainda alienará seus expectadores diante de uma explosão de futilidade, mostrando que parece certo ficar de olho na vida alheia. Nossa!!! Quase esqueço do nome, mas esse é muito fácil: No Brasil.

1 comentários:

Rafael disse...

Foda, o mais foda é que esses realits estao se multiplicando. Cada programa estupido que vejo, outro dia vi um show aonde o objetivo era se tornar o best friend forever da paris hilton... Pode?! Foda...